1 de nov de 2009

Coisinha feita por mim ...



Quem está certo ?


Quando criança eu vi meu pai com o coração quebrado, chorando e chutando o nada, tentando em vão, juntar seus pedaços (sem saber que uma vez partido o coração nunca se junta). A mulher que ele amava foi embora e jurou jamais ser esquecida. Desde então desacreditei no amor e tentei manter uma distância confortável, porque ele nunca dura e eu sei disso no fundo da alma. A solidão é calma e não dói por isso eu não sei se devo querer-te, não sei se o amor realmente existe para você, a não ser que sejamos a única exceção para o amor carnal, eu estou quase crendo nisso, por favor, se for um sonho me diga. Não me deixe ser uma tola acreditando no inacreditável , porque antes de você eu acreditava ser feliz na solidão ...

F. cunha

2 comentários:

Bezerra Guimarães disse...

Ora Pê... vc não escreve mal.. É claro que não!!!

Vc escreve muito bem, miga...

ps... Acho que você está bastante ligada a crepúsculo, neh?


O texto é muito sensível...

A receita foi ideia vinda de CL?

rsrsrs

Beijos!

Vanessa David Justo disse...

Olá!
Obrigadíssima pelo comentário em meu blog.
Simplesmente não consegui despreender os olhos do início deste seu texto. Bem escrito. Parabéns!
Um grande abraço.
Vanessa.